Doce Vampiro
BEM VINDO!!!!

Registre-se, ou faça seu login, e divirta-se conosco!!!
Doce Vampiro

Quando o leão se apaixona pelo cordeiro...
 
InícioInício  GaleriaGaleria  Registrar-seRegistrar-se  LoginLogin  
Buscar
 
 

Resultados por:
 
Rechercher Busca avançada
Últimos assuntos
» Rising Sun(Sol Nascente) A história de Renesmee
Sab 24 Maio 2014, 21:15 por janaisantos

» NightFall Continuação da Fic Rising Son (Sol nascente) A história de Renesmee
Sab 24 Maio 2014, 20:23 por janaisantos

» Cullen Favorito (fora o Ed)
Seg 20 Maio 2013, 02:10 por Claudia Coleridge

» Se você pudesse viver para sempre, pelo que valeria a pena morrer ?
Sex 26 Abr 2013, 07:51 por saracullen

» New Night .... trilhando novos caminhos
Sex 26 Abr 2013, 07:29 por saracullen

» Nova por aqui!
Ter 19 Mar 2013, 21:42 por Vitoria Lazar

» Recém Chegada
Ter 19 Mar 2013, 21:38 por Vitoria Lazar

» Parede de sangue
Ter 08 Jan 2013, 08:44 por Marina cullen

» O Vampiro que descobriu o Brasil
Qua 21 Nov 2012, 18:32 por Ivinny Viana Barbosa

» Vampirismo
Ter 20 Nov 2012, 19:18 por Gaby D. Black

» O que você faria...?
Ter 20 Nov 2012, 18:54 por Gaby D. Black

» [Fic] Sol da meia-noite
Qui 15 Nov 2012, 09:34 por Gaby D. Black

» Qual foi sua cena preferida em Amanhecer ??
Qui 05 Jul 2012, 14:09 por G@by Swan

» Primeiras imagens de Amanhecer - Parte 2
Qui 05 Jul 2012, 13:45 por G@by Swan

» The Emotionless Shadow | Tudo Tem Um Preço
Dom 27 Maio 2012, 18:00 por gisamachado

» FANFIC - Jacob e Nessie - Sol do Meio Dia
Dom 27 Maio 2012, 15:48 por Tânia

» Solstice, the sequence of Blizzard | Por mais escura que tenha sido á noite, o sol sempre vem pela manhã.
Dom 27 Maio 2012, 14:46 por Yasmim L

» As mudanças do cabelo de Edward
Qua 23 Maio 2012, 22:09 por celina62

» O que você mudaria no Rob?
Sab 14 Abr 2012, 20:48 por Marina cullen

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Fórum Irmão

Compartilhe | 
 

 FANFIC - Jacob e Nessie - Sol do Meio Dia

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3 ... 11, 12, 13
AutorMensagem
Victoria Cullen Black
Na clareira com Edward e Bella
Na clareira com Edward e Bella


Idade : 20
Número de Mensagens : 63
Data de inscrição : 15/12/2011
Localização : Em La Push com Jake....

MensagemAssunto: Re: FANFIC - Jacob e Nessie - Sol do Meio Dia   Qui 26 Abr 2012, 14:28

AMEI AMEI AMEI vou sentir muita saudade!!!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Eme_Sra.Black
No baile de Fork's High
No baile de Fork's High


Idade : 31
Número de Mensagens : 179
Data de inscrição : 19/09/2011
Localização : Olhando o mar do penhasco em La Push...

MensagemAssunto: Re: FANFIC - Jacob e Nessie - Sol do Meio Dia   Sex 27 Abr 2012, 12:14

ahhh minha linda Vic, vou sentir falta tbm viu?!!

Amanhã acho que já vou postar o Cap. Bonus tá?...Não perde!!!
Está surpreendente!!

Mymmm.....vc viu os nomes dos gêmeos??...ownnn, homenagem ao nosso vampirão favorito e o ancião lobo para o menino e da nossa querida Leah para a menina...uhuuu...amooo!!!

bjo meninas!! Cadê a Sara hein??? E a Ticha? E a Anjinha? E a Tânya?....Saudades de vcs amoreeess!!!

Eme
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://cenografia3d.blogspot.com
saracullen
Sem Edward
Sem Edward


Idade : 23
Número de Mensagens : 208
Data de inscrição : 28/06/2011
Localização : coração de jocob em direção ao infinito

MensagemAssunto: Re: FANFIC - Jacob e Nessie - Sol do Meio Dia   Sex 27 Abr 2012, 22:08

to aqui vovo, voltei cheia de saudades..
agora vou voltar de verdade, já to mais leve estes dias.

bom agora vou me atualizar aqui e no resto do forum pra
comentar....

bjssooo...........
Voltar ao Topo Ir em baixo
Tânia
Conhecendo Edward
Conhecendo Edward


Idade : 28
Número de Mensagens : 32
Data de inscrição : 19/12/2011
Localização : Vila do Conde (Portugal)

MensagemAssunto: Re: FANFIC - Jacob e Nessie - Sol do Meio Dia   Dom 29 Abr 2012, 07:21

Oi meninas,

Já estou com saudades.... Sad vou sentir a vossa falta.

Vovo adorei o epilogo.

Beijocas Graaaaaaandes

JA COM MUITAS SAUDADES

ADORO-VOS
Voltar ao Topo Ir em baixo
Eme_Sra.Black
No baile de Fork's High
No baile de Fork's High


Idade : 31
Número de Mensagens : 179
Data de inscrição : 19/09/2011
Localização : Olhando o mar do penhasco em La Push...

MensagemAssunto: Re: FANFIC - Jacob e Nessie - Sol do Meio Dia   Seg 30 Abr 2012, 01:32

bom minhas lindaaasss....não postei o cap. bonus ainda...pq preciso dar uma mudada em um amasso q tem aki....kkkkkkkkkkkkk....pq aki no forum não pode hentai mto tenso...então acho q só amanhã!!!!

bjobjooooooo

Tanyaaa e Sarinhaaa....amei q vcs apareceram"!!!!! Sério....super saudade!!!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://cenografia3d.blogspot.com
Yasmim L
Conhecendo a história de Jasper
Conhecendo a história de Jasper


Idade : 21
Número de Mensagens : 371
Data de inscrição : 19/04/2010
Localização : Brincando com a "comida" nos becos de Volterra com Alec e Demetri... 666'

MensagemAssunto: Re: FANFIC - Jacob e Nessie - Sol do Meio Dia   Qui 17 Maio 2012, 15:15

eme eme esperando o cap bonus aki emmm
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.deciphermee.tumblr.com
Tânia
Conhecendo Edward
Conhecendo Edward


Idade : 28
Número de Mensagens : 32
Data de inscrição : 19/12/2011
Localização : Vila do Conde (Portugal)

MensagemAssunto: Re: FANFIC - Jacob e Nessie - Sol do Meio Dia   Qui 24 Maio 2012, 14:19

Vovo o quê que se passa nada desaparecida

VOLTAAAAAAAA...

Beijocas Graaaaaaaandes
Voltar ao Topo Ir em baixo
Eme_Sra.Black
No baile de Fork's High
No baile de Fork's High


Idade : 31
Número de Mensagens : 179
Data de inscrição : 19/09/2011
Localização : Olhando o mar do penhasco em La Push...

MensagemAssunto: Re: FANFIC - Jacob e Nessie - Sol do Meio Dia   Sex 25 Maio 2012, 18:22

AHHHHHHHHH OLHA SÓ QUEM RETORNOU DAS CINZAS COMO A FÊNIX!!!!!???

EUZINHAAAAA....kkkkkkkkkkkkk...
e aí minha lindonas...saudades de mim??? Eu to com muita saudade de todas vcs e como o prometido, venho aqui postar o capíyulo bônus e espero do fundo do coração que vcs gostem.
nos vemos lá em baixo.


_______________________________________________________

Pov Bernard Black

Qual era a melhor parte em estar fazendo 18 anos? Ahhh...Sem dúvidas o presente que eu ganhei dos meus avós, não foi somente a mim que agradou, mas simplesmente a todos os meus amigos. Meu avô Edward, junto com minha avó Bella, resolveram me dar de presente de formatura do colegial, uma viagem pela Europa, mas não somente para mim, meus melhores amigos vão poder ir comigo também e isso se resume em Daniel, Ryan, Andie, Jim e Lana. Todos eram filhos dos amigos do meu pai, tirando Ryan que é meu primo, Daniel é filho do Sam, a Andie é filha do Quill, o Jim é filho do Jared e Lana é filha do Seth, ao que parece, Embry não quis ser pai, apesar de ter encontrado sua impressão na Andie, agora ninguém a aguenta, ele esperou anos por ela, ela está toda apaixonada, mas tem medo da rejeição dele, por ela ser muito nova e fica o tempo todo reclamando por ser nova demais, quem não gostou nada disso foi o Quill.

– Ainda acho arriscado demais essa viagem Benny, não concordo, você e essa juventude maluca que vocês são, vão acabar em problemas – Minha mãe dizia entrando no quarto e me ajudando a colocar as roupas na mala. – Sinceramente não sei onde meu pai estava com a cabeça... – Ela resmungava, enquanto me entregava uma camisa polo branca e dobrada.

– Mãe, calma, vai ser divertido, o que poderia acontecer com um monte de garotos e garotas recém transformados em lobos, imortais e extremamente fortes??? – Eu perguntei, em meio ao riso.

– Ele tem razão Ness, são garotos fortes, olha só o tamanho do meu filho, ele conseguiu ser um lobo maior do que eu!!! – Papai falou orgulhoso, me dando uns tapinhas nas costas.

– Ah, na boa, acho muita sacanagem o Benny poder ir nessa viagem e eu não...Se o vovô Edward não me der um presente bem legal no meu aniversário, eu vou surtar!!! – Disse Leah, fazendo bico, cheia de manha.

– Na verdade Lee, o presente tem que valer por dois!!! – Disse Tony entrando no quarto, rindo e puxando o cabelo da Leah.

– Eu não vejo a hora de sair pelo mundo, conhecer um montão de gente, estou LOUCA para morar numa cidade grande!!! – Lee suspirava.

– Talvez quando você tiver a aparência de trinta anos...Quem sabe. – papai falou dando de ombros, arrancando risos de todos, afinal, todos sabiam que era uma piada, ela NUNCA, teria cara de trinta anos, provavelmente iria parar na aparência de vinte, vinte e poucos no máximo.

– Vocês vão me deixar arrumar minhas coisas aqui, ou tá difícil? – Eu perguntei, colocando as mãos na cintura – Vai ficar todo mundo aqui no meu quarto fazendo a reunião familiar? – Eu ri.

– Não vou sair antes de te arrebentar primeiro – Disse o Tony em tom de brincadeira, começando a caminhar em minha direção.

– Cai dentro!!! – Eu disse, no mesmo momento que ele se jogava contra mim, caindo os dois no chão, enquanto eu dava uma chave de braço no pescoço dele.

– Benny, caramba, vai matar seu irmão!!! Solta ele!!! – Minha mãe bradou.

Afrouxei os braços sorrindo.

– Da próxima você não escapa, ainda vou te vencer!!! – Dizia meu irmão em voz alta, gargalhando, enquanto saia do meu quarto.

– Hunf! Garotos! – Disse Leah revirando os olhos, enquanto saia do quarto também.

Meu pai estava só olhando a cena e rindo, enquanto minha mãe o recriminava veementemente por essa atitude, saindo os dois do quarto em seguida, me deixando sozinho com meu pensamentos, que tinha apenas um nome...Lana. Ela não era minha impressão, mas eu estava caidinho por ela, ela era loira, com um corpão, havia puxado a mãe dela, e eu estava louco para me perder naquela boca vermelhinha. Essa viagem ela não me escaparia, seria apenas nós seis, sem adultos, sem nada que pudesse atrapalhar.

Limpei meus pensamentos da loira gostosa, para me concentrar no que eu estava fazendo, ainda bem que meu avô Edward não estava aqui, senão teria lido meus pensamentos e o mundo inteiro saberia da minha paixonite por Lana. Fechei minha mala pronta e desci para me juntar aos meus pais, era fim de semana, estavam todos em casa, na verdade até Embry estava aqui em casa hoje, ele vivia pedindo ao meu pai conselhos sobre como lidar com impressão difícil.

Almocei a comida perfeita da minha mãe, depois fui com meu pai em uma das oficinas ver uns carros, depois joguei Wii com Tony, depois ficou na sala, eu, Tony e a Lee, conversando sobre o próximo ano, será a formatura deles, eu tinha certeza que a Lee ia ganhar o prêmio de rainha do baile, era bonitinha demais, essa pestinha, odiava ter que admitir isso, e odiava MUITO mais ainda, o monte de marmanjos que dava em cima dela, principalmente o Daniel, filho do Sam, era doido pela minha irmã, quando ele começava a falar dela, já me deixava irado, ela era muito nova para ele, que já estava no primeiro ano da faculdade. Já ela, não odiava nenhum pouco, pelo contrário, ficava toda esquisita quando ele estava por perto, num sei não, mas acho que a Leah finge que não vê o Daniel, mas deve ser bem afim dele, uma vez eu ouvi ela comentando com a Andie que achava o Daniel “gato”. Eu mereço.

Quando caiu a tarde, meu pai me levou no aeroporto, e lá eu encontrei com todo o pessoal que me aguardavam ansiosos, os pais deles, que no caso eram os guardiões da alcateia em que meu pai era alfa, estavam lá também, todos conversavam animados, quando anunciaram nosso voo. No instante seguinte, estávamos nós, os seis, nessa viagem super legal, patrocinada pelos meus avós, que graças a Deus, querem ver seu neto feliz. Eu ri, com esse meu pensamento bobo.

– GRÉCIA!!!! Aí vamos nós!!! – Gritou Andie.

– Nem me fala amiga, estou simplesmente LOUCA, para ver os templos gregos, andei até dando umas lidas em alguns livros, descobri que mitologia é a minha cara!!! – Lana falou toda contente.

– Ahhh amiga, as vezes juro que você me surpreende com sua nerdisse – Andie disse alto, arrancando risada de todos nós.

Estávamos sentados em duplas, eu e Daniel atrás de nós vinha Andie e Lana e atrás delas Jim e Ryan.

– Brother, vou encher a cara quando chegar lá!!! – Disse Ryan, todos riram.

– Ah, tá bom, até parece, você só fala, da ultima vez quem bebeu até cair foi o Jim, literalemente!!! – Daniel falou alto e obviamente todos gargalharam, menos o próprio Jim.

– Mas é claro pô, alguém tem que saber se divertir nessa droga, já que vocês vão ficar aí de boiolagem, eu vou ouvir uma música aqui, enquanto essa -sou bonzinho e não uso palavrões no fórum alheio- não decola! – Jim respondeu, tirando seu Iphone do bolso, colocando os fones de ouvidos.

– Idiota, vai ter que desligar isso já já – Disse Ryan, colocando o tapa olhos para dormir.

– Ahhh, sério, nunca vi alguém tão viciado em música como o Jim, Hey man, tira essa -sou bonzinho e não uso palavrões no fórum alheio- da cara Ryan, esta meio gay isso aí, se me perguntarem quem é não vou dizer que é meu primo, nem te conheço!!! – Eu disse, todos riram, menos o próprio, que ignorou meu comentário e o Jim que estava ouvindo música e tocando uma bateria invisível.

– Vai sentir falta do Embry, Andie? – Eu perguntei para sacanear, ela ficava muito vermelha sempre que tocava nesse assunto.

– Para Benny, muito do sem graça você...Fala isso porque nunca se apaixonou, só fica na pegação, até o Danny já namorou e você não. – Ela me disse me lançando um olhar gélido.

– Ele não sabe o significado do amor amiga, homens são assim mesmo, deixa, um dia a gente vai rir quando eles tiverem babando por suas impressões!!! – Disse Lana.

– Ahhh, então você entende do amor Lana? – Eu perguntei, ela me olhou um pouco tímida.

– Isso definitivamente não lhe interessa, Black. – Soltou, procurando algo em sua bolsa para disfarçar.

– Parabéns Benny, com certeza intimidando as pessoas é a melhor forma de ser atraente. – Me sacaneou Daniel ao meu lado, rindo baixinho.

– Cala a boca! – Eu disse rindo também.

Logo estávamos nos ares, fizemos algumas conexões, horas e mais horas de voo, até que finalmente desembarcamos na Grécia. Essa viagem seria demais, era um Tour pela Europa, primeira parada era na Grécia, próxima, acho que era Espanha, mas só daqui dois dias.

Fomos para o hotel onde nosso pacote estava incluso, dormimos um pouco, que ninguém é de ferro, a noite, Jim encheu a porcaria do saco para a gente sair e fomos para uma boate animadíssima, era a fantasia, então tivemos que comprar algo em u caminhão parado na frente, pois ninguém estava preparado com perucas e óculos para sair. Nos fantasiamos e entramos na balada, que estava lotada, obviamente, ninguém do nosso grupo falava grego, o que dificultava um pouco na hora de pedir as bebidas, mas de resto estava tudo certo. Ryan ficou com uma Grega gatíssima, enquanto eu fiquei cercando a Lana, que parecia não ter interesse em nenhum homem ali, conversava apenas comigo e com Ryan, Jim sumiu de vista, quando apareceu estava muito doido de bebida.

A noite foi demais, a gente curtiu bastante, na manhã seguinte, fomos almoçar fora e conhecer os Templos dos Deuses Gregos, que realmente, eram incríveis. No dia seguinte, embarcamos direto para a Espanha.

Barcelona era uma cidade linda, cheia de gente bonita, muito cheia de vida, principalmente vida noturna. E mais uma vez a gente saiu a noite e a balada foi uma das mais incríveis que já vi na vida, eu estava em pé dançando e tomando meu Drink, conversava com Ryan, já que Jim e Daniel haviam sumido juntos, deviam estar beijando por aí, provavelmente, deixa o Danny, depois vai dizer que é afim da minha irmã, serei obrigado a descer a porrada nele. De repente chegou uma garota para conversar com a gente, ela era brasileira, e se aproximou de nós, pela cor diferente que temos, achou que pudéssemos ser latinos. Mas ela não era uma brasileira qualquer, era muito gostosa, era A brasileira e ela gostou do Ryan, logo de cara, então depois de uns minutos de conversa, arrastou meu primo pro meio da balada e em segundos, estavam aos beijos.

Procurei minha loira com os olhos, ela estava um pouco a minha frente, conversando com Andie, parecia estar triste, respirei fundo, tomei um ultimo gole da minha Vodka, e fui em busca do meu objetivo, aquela boca vermelha e carnuda, estavam todos se dando bem, eu não iria embora sem ela.

– Você está bem? – Eu perguntei.

– Claro que estou, porque? Não parece? – Ela perguntou preocupada.

– Você está linda Lana... – Ela me olhou com olhos muito abertos. Muito surpresa. – Sei que nunca te disse isso, mas te acho muito linda, sei que nós nos vimos crescer, que somos como irmãos, talvez você me veja assim, mas eu não a enxergo como uma irmã, você não é a Lee para mim, você está mais para o que a Andie significa para o Embry. – Ela abriu mais ainda os olhos, assustada.

– Benny, você está me dizendo que...

– Sim, exatamente isso que pensou, que sou muito afim de você, que quando fala, sua boca me hipnotiza, sou doido para saber que gosto tem, desculpe o perdão da palavra, mas você é muito gostosa!!! – Ela abriu a boca para argumentar, mas eu não deixei que terminasse. Eu a beijei.

Antes que eu pudesse pensar, meus lábios foram de encontro aos lábios que eu tanto almejei, massageei sua boca com a minha, ela pareceu uma estátua no início, talvez pelo susto, mas logo depois eu senti seus lábios se moverem em conjunto com o meu, era um beijo para nos conhecermos, percebermos nossos movimentos. Depois de um tempo sentindo seus lábios, eu desejei mais, muito mais. Peguei em sua mão.

– Vamos mais para o canto Lana, quero conhecer você melhor!!! – Eu disse em seu ouvido, ela apenas me olhou, deu uma olhada ao redor, parecia procurar alguém na pista de dança, acho que a Andie, seus rosto deu uma leve contorcida.

– Ok, vamos!!! – Ela mesma me puxou para o canto, me puxando contra si, assim que encostou suas costas na parede.

Meu corpo ficou muito rente ao seu, pude sentir cada curva de seu corpo turbinado, pude sentir seu cheiro, que me era familiar a muito tempo, depositei meus lábios novamente nos seus, mas dessa vez minha língua pediu passagem, que foi concedida no mesmo instante. Nosso beijo era sensual, minha língua começou a passear por toda aquela boca, me enroscando na língua dela, minhas mãos já estavam criando vida própria e antes que eu pudesse controlar, elas haviam voado para a cintura de Lana, a apertando junto a mim, enquanto aumentava a intensidade de nosso beijo.

Senti Lana arfar, quando minha mão desceu para o bumbum empinado dela, suas mãos que antes permaneciam em minhas costas, voaram para meus cabelos, fazendo com que nossas bocas se colassem ainda mais. Estava muito escuro onde estávamos, era uma área bem mais afastada, as únicas pessoas que tinham ali naqueles lados, eram outros casais se agarrando. Eu a apertei com mais força e rocei nossos quadris, fazendo-a arfar ainda mais em resposta. Desci minha língua de sua boca para seu pescoço, levantando uma de minhas mãos para seus seios e á partir disso, vocês podem imaginar o que aconteceu, apenas garanto uma coisa, chegamos ao ápice juntos. Mas não rolou o sexo em si, apenas uns amassos, bem intensos...

– Ahh Lana, eu quero fazer amor com você... – Encostei minha testa na dela, enquanto acalmava minha respiração e ela buscava o ar.

– Não Benny, eu...errr...não posso, eu meio que gosto de outro cara, quero fazer isso com ele um dia, só dar uns amassos tudo bem, mas transar não. – Ela disse olhando para baixo.

Tirei minha mão de sua cintura e me afastei um pouco. Olhei para ela atentamente.

– Me desculpe Lana, achei que estivesse tão afim quanto eu... – Eu disse meio sem jeito, o que ela havia acabado de me falar, foi como um balde de água fria em pleno inverno.

– Desculpe Benny, você é MUITO gato, muito sexy e muito gostoso, agora que provei eu sei, além de muito legal e inteligente, mas eu só estou nessa viagem por causa dele, err...Não sei nem como vou te falar isso mas, estou apaixonada pelo Ryan – Ela disse ainda olhando para baixo, mas agora, senti tristeza em sua voz.

– PELO RYAN?!! – Eu perguntei alto, pela surpresa, ou melhor pelo choque, mais que droga, meu primo.

– Pois é, eu escondi isso, nós nunca nos demos muito bem, quer dizer, ele não se dá bem comigo, eu acho, porque isso tudo foi recente, depois da minha primeira transformação que não tem nem um ano, eu comecei a enxergar ele de outra forma, como nós começamos a ter acesso aos pensamentos uns dos outros, eu vi o quanto ele é responsável, inteligente, educado...Mas como a gente nunca se deu muito bem, achei melhor não contar, tenho disfarçado tudo o que posso, embora hoje em dia nossa convivência esteja sendo ótima e perfeita, ele não me enxerga como mulher, não dá a mínima pra mim, tanto é que olha ele lá, atracado com aquela mulher. – Ela apontou a brasileira, em que ele estava aos beijos segurando-a pela cintura.

– Como é que você conseguiu chegar ao orgasmo aqui comigo, apaixonada pelo meu primo, com ele aqui????? – Eu queria muito saber, embora o Ryan nunca tivesse comentado comigo que tinha alguma atração por Lana, não seria legal eu ter ficado com ela se ela tiver algum tipo de rolo com ele.

– Porque eu não sou correspondida, claro né, ele não me vê como possibilidade, só como amiga, nós brigávamos como cão e gato antes, como você bem sabe, mas agora nos entendemos muito bem, mesmo assim não é o suficiente, mas eu o estou vendo feliz e isso tem que bastar não é? – Ela sorriu sem humor.

– Amor não correspondido é uma droga... – Eu disse pensativo – Ok então, ficaremos na amizade, nada muda não é? – Perguntei com um sorriso fraco.

– Não Benny, nada muda, isso aqui nunca aconteceu, mas eu não sou de ferro não é? Como eu poderia resistir a um beijo daqueles, de um moreno tão lindo quanto você e ainda vendo o homem que eu amo se esfregando em outra? Aproveitei, te acho hot Bernard!!! – Ela disse sorrindo, me puxando em seguida pela mão, me levando para a pista.

A droga da viagem ficou uma -sou bonzinho e não uso palavrões no fórum alheio- depois disso.

Ainda fomos para a Suíça, Irlanda, Portugal e agora estávamos na Itália, tudo fazia sentido agora, quando eu falei com ela no avião, ela ficou com vergonha porque o Ryan estava lá, ela só está andando com a gente agora, por causa dele e ele não dá a mínima para ela, senão eu saberia, ele inclusive me dava o maior apoio para ficar com ela. Agora eu fico olhando de longe e a vejo se jogando para cima dele e o idiota nem nota, apenas conversa, abraça, faz brincadeira, como um bom amigo que ele é e ela fingindo uma boa amiga também...Idiotas.

Resolvi me separar um pouco do grupo.

– Vou tomar um ar Danny, depois eu volto aí. – Eu disse me afastando.

Já havíamos passado pela Toscana inteira aqui na Itália, fomos a Milão, foi ótimo e tal, mas sem graça alguma para mim, todo esse clima romântico e eu tendo que ver aquelas cena ridículas na minha frente. Me sentindo um -sou bonzinho e não uso palavrões no fórum alheio-, entrei no primeiro ônibus de turismo que vi para vender, ia dar um passeio. -sou bonzinho e não uso palavrões no fórum alheio-, essa tal de Florença não tinha nada interessante para se fazer. Paguei minha passagem, o ônibus deu várias voltas, passou em cidades pequenas e depois de um tempo, não sei bem quanto, ele parou, eu sei que demorou bastante, eu havia saído de manhã e já estava de tarde, acho que teria que dormir por aqui, me preocupei um pouco, mas como a gente só ia embora daqui dois dias, era só eu ligar avisando a turma e estava tudo certo. -sou bonzinho e não uso palavrões no fórum alheio--se.

Dei umas olhadas por essa pequena cidade, mas algo me estranhou muito, me deixando de cabelo em pé. A cidade ardia meu nariz, fedia a vampiro. Senti meu corpo se contrair e uma raiva constante começar a martelar meu peito, meu corpo quis começar a tremer, eu estava me controlando muito para não me transformar ali mesmo. Percebi uma senhora vindo em minha direção, tentei puxar da memórias as aulas de Italiano que aprendi para essa viagem e perguntei:

– Per favore, quale città è questa?* - Perguntei meio sem jeito, com um sotaque típico de quem não sabe a língua, a senhora com feições bondosas me respondeu com um leve sorriso de satisfação no rosto, por dar essa informação.

*Por favor, que cidade é essa?*

– Ciao cara, questa città è Volterra* – Ela disse, me olhando feliz, como se amasse profundamente sua cidade natal.

*Olá querido, essa cidade é Volterra.*

– Volterra???? F***eu... – Eu disse atordoado, andando de costas, com a mão na boca, pois me veio a mente, toda a história dos meus pais e de como quase minha mãe morreu aqui e de como meu pai perdeu uma grande amiga e de que esses vampiros um dia, entraram em guerra com a minha família, foi aqui que eu nasci.

Meu coração disparou de nervoso, meu corpo convulsionava, tremendo muito, eu comecei a correr, atordoado, indo em direção a floresta, eu ia me transformar e correr de volta para Florença...Florença, como eu não lembrei disso antes??? Porque decidimos vir pra cá, eu fui o primeiro a dizer que queria ir em uma rave em Florença, pois disseram que era memorável, nós estávamos em Milão e todos aceitaram vir...Como eu pude me esquecer disso??? Que filho mais ingrato eu sou, me colocando em risco dessa forma, a troco de que? Porque???

Eu corria, me sentindo um completo idiota quando um homem quase foi atropelado na minha frente. O carro passou direto, mas homem estava caído, tentando se levantar, por mais pressa que eu tivesse, eu parei para ajuda-lo, ele estava meio atordoado pelo susto, o retrovisor do carro bateu em seu braço, que agora continha um hematoma, sua boca estava seca, enquanto ele balbuciava algumas palavras, em choque.

– Eu vou buscar uma água!!! – Eu falei, esquecendo completamente que não estava em meu país.

Saí em direção a uma cafeteria próxima, do outro lado da rua, a fim de comprar uma água para aquele homem, quando senti um cheiro estranho e tive que parar. Meio que por instinto, levantei meu rosto para sentir melhor o cheiro. Era esquisito demais. Não tinha cheiro de vampiro, pelo contrário, era um cheiro adocicado, mas não ardido como os vampiros e nem amadeirado como os lobos, era algo como a flor Dama da noite, com um toque de morango silvestre.

Era simplesmente o melhor cheiro do mundo, era algo surreal, eu nunca havia sentido um cheiro assim antes, era feminino, tinha certeza disso. Inconscientemente, meus pés foram me levando na direção desse cheiro, como estava com meus sentidos aguçados, eu ouvi um coração, que batia acelerado um tom a mais que o normal, porém numa cadência contínua, como se ele batesse normalmente nesse ritmo, fui andando pelo café, até chegar na varanda, do lado de fora.

Procurei pelo cheiro e ele me atraía diretamente para uma moça, que lia um livro de forma distraída, como se percebesse minha presença, ela levantou o rosto de forma rápida e me olhou nos olhos, olhos verdes e límpidos, que estavam arregalados, me encarando, enquanto eu via todo o universo me prendendo a esta morena clara a minha frente, nada mais fazia sentido, não existia mais Lana, nem meus pais, nem mesmo o homem que eu pretendia ajudar agora pouco. Apenas existia ela...

Eu havia encontrado a minha impressão.

Com o coração apressado, tanto o meu, quanto o dela que agora batia muito mais rápido e sem perder o contato visual, eu me aproximei, andei devagar em sua direção, esperei que ela fosse embora, mas não foi, ela apenas me olhava e respirava rápido, seu rosto estava assustado, não sei qual era minha expressão, mas sei que meu olhar era de descrença, de admiração, não existia ninguém nesse mundo, mais linda do que ela.

– O-oi – Eu gaguejei um pouco, ela me tirava dos eixos.

Demorou um pouco para que ela respondesse, sua boca abria e fechava como se buscasse as palavras, quando falou, foi quase um sussurro, mas era uma voz linda, era como um coral de anjos em meus ouvidos.

– O-o que você é? – Ela conseguiu dizer num fio de voz, ainda olhando perplexa em meus olhos.

– Como? – Eu perguntei confuso, que tipo de pergunta era essa?

– V-você não é humano, o que você é? – Ela perguntava assustada, eu havia percebido por seu cheiro que não era de um humano, mas também não fazia ideia do que ela poderia ser.

– Sou um lobo – Não consegui mentir para a minha impressão, com ela me perguntando assim tão abertamente, não consegui esconder, me entenderia com meu pai depois. - Mas você também não é humana, seu cheiro é diferente, nunca senti nada igual, é tão...Perfeito! – Eu disse sentando-me na cadeira vazia ao seu lado, sem tirar meus olhos daquele oceano esverdeado, ouvindo seu coração acelerar ainda mais com minha aproximação e vendo seu rosto perfeito corar quando disse que seu cheiro era perfeito. Então eu causava reações nela também, isso me deixou mais audacioso e incrivelmente bobo.

– Um lobo!!! – Ela exclamou, ainda baixo. – Mas me disseram que lobisomens fediam... No entanto, eu sinto apenas cheiro de floresta, sândalos, madeira... – Ela disse fechando os olhos por um instante, como se quisesse sentir melhor o meu cheiro.

Aproveitei enquanto ela falava e mantinha os olhos fechados e me aproximei, chegando próximo ao seu ouvido, eu extava excitado, a aproximação dela mexia com minha fera interior, assim como meu pai disse que se sentia com relação a minha mãe, antes eu achava que ele exagerava, hoje percebo que ele tinha completa razão. Deixei que meus lábios se aproximassem do lóbulo de sua orelha.

– Chamo-me Bernard Black, seu lobisomem. – Eu disse de forma sedutora, com um sorriso torto, minha voz saindo rouca pelo momento e esperei que ela saísse correndo, mas ela apenas respirou fundo, percebi sua pele arrepiar.

– Chamo-me Alexia Lorenzatto Volturi, uma híbrida – Ela disse com sua voz angelical, mas por instinto, eu me afastei.

– Volturi??? – Eu perguntei – Você é uma daquele clã que quis matar minha família? Não posso acreditar nisso... – Eu disse, balançando a cabeça indignado, o destino não poderia fazer isso comigo, seria muito cruel.

– Sua família??? OMG!!! Você é um Black!!! Filho daquela humana que virou loba, de Forks???? – Ela também parecia assustada e perguntou isso com uma agonia latente em sua voz.

– Sim, meu pai é Jacob Black e minha mãe era antes Renesmee Cullen, agora obviamente Renesmee Black, muito prazer... – Eu disse com deboche em minha voz, me levantando em seguida, eu conseguiria rejeitar uma impressão, não conseguiria? Eu precisava, isso não estava certo.

– Prazer, minha mãe é Yasmim Lorenzatto, agora é Yasmim Volturi, meu pai, acho que você já sabe né, chama-se Alec, Alec Volturi. – Ela disse com orgulho na voz, cruzando os braços em desafio.

Ela estava esperando o que? Que eu fosse crucificá-la por ser filha de um vampiro maluco que meu pai odeia? Eu tinha acabado de sentir a impressão por ela, eu agora era refém de seus olhos, de sua voz, eu não estava nem com raiva se quer saber, apenas assustado, mas ela pareceu bastante aborrecida. Isso nunca daria certo. Baixei meus olhos para que ela não percebesse a umidade que beirava, quase derramando lágrimas, pois a dor que sentia em meu peito se instalou, minha decisão havia sido tomada e eu já estava sentindo os efeitos dela.

Levantei a muito custo e sem olhar para trás eu fui caminhando em direção a porta, se eu olhasse em seus olhos, eu não conseguiria partir.

– Espera!!! – Ela gritou. Eu virei rapidamente em sua direção, ela havia levantado da mesa e agora encaminhava-se em minha direção.

– Err...- Ela olhava para o chão, como se buscasse as palavras – Bom...Não é porque nossos pais se odeiam, que a gente tem que se odiar também... Eu sei que parece meio maluco mas... Eu me identifiquei de um jeito esquisito com você, que não sei dizer bem o que é...Você mexe comigo de forma estranha... – Ela torcia as mãos de nervoso enquanto falava, mirando o chão da cafeteria.

– Hey... – Levantei seu rosto com o meu indicador, de forma que seus olhos fossem de encontro ao meu – Você acha que gosta de mim? É isso? – Eu perguntei sério, encarando-a, sem desviar o olhar, ela apenas assentiu e percebi que seus olhos estavam marejados.

Permaneci sério, porém com o polegar, acariciei seu rosto, ela fechou os olhos e quando os abriu novamente, meu olhar intenso ainda estava ali, ela corou, ainda me olhando, com seu coração acelerado, tanto quanto o meu, levei meu rosto mais próximo ao seu, cheguei muito perto, sentindo seu hálito doce, acarinhar meu rosto, me excitei novamente pela situação, e sem que eu percebesse, um rosnado baixo escapou de meus lábios enquanto eu mirava sua boca carnuda e vermelha, ela se arrepiou e seu corpo tremeu. Cheguei mais perto, até que meus lábios encostaram nas plumas macias dos dela, de leve, sem pressa, como se pudesse durar a eternidade, saboreei a textura macia e o sabor indescritível, movimentei meus lábios de forma casta, amando cada contato, como se fosse o único, aproveitando cada segundo como se fosse o último.

Sua boca moveu-se junto com a minha e após algum tempo sentindo sua boca massageando-me, levei minha língua, até tocar a dela, com esse toque quente, senti minha amada amolecer em meus braços, que estavam a sua volta, apertando-a em um abraço, enquanto nossas línguas dançavam, meu peito martelava tanto que chegava a doer, mas não mais do que meu sexo, que latejava, perante a excitação do momento. Infelizmente o ar ficou escasso, no momento em que o beijo estava mais intenso.

– OMG!! O que foi isso Bernard? Nunca senti algo assim!!! Me sinto até, meio assustada...- Ela confessou, calando-se em seguida, pela falta de ar, nosso beijo nos tinha feito perder o fôlego.

– Minha amada, Alexia, acho que precisamos conversar... – Ela assentiu, ainda abraçada a mim – Você quer abrir mão do nosso encontro, traçado pelo destino? – Eu perguntei, encarando seus olhos que brilhavam, tanto quanto os meus.

– Não, não quero abrir mão, quero conhecê-lo melhor, sinto uma vontade maluca de estar ao seu lado – Apesar da situação estranha, ela disse convicta, senti que ela me queria e me desejava, tanto quanto eu.

– Então, existem algumas coisas que eu preciso te contar, sobre mim, sobre...a Impressão. – Eu disse sério, ela me olhou sem entender, eu apenas beijei-lhe a mão. – Aceita dar um passeio na floresta comigo? Quero que me conheça em todas as formas e quero privacidade para que saiba de tudo o que acontece na vida de um lobo – Eu sussurrei em seu ouvido, enquanto sentia sua pele arrepiar e seu coração acelerar.

Peguei em sua mão, e com delicadeza, comecei a conduzi-la em direção a floresta, ela apenas sorria, um sorriso lindo, enquanto me encarava, perplexa, prestei atenção se não tinha ninguém mais por ali e percebi que não, acelerei o ritmo, até que começamos a correr em grande velocidade, em velocidade sobre-humana, nós ríamos alto, quando chegamos no meio da floresta, eu não esperei que o momento acabasse, joguei minha mochila em um canto e explodi em minha forma de lobo. Enquanto Alexia me olhava com um misto de admiração, perplexidade e êxtase. Seus olhos não negavam, ela havia gostado, e como que para responder as minhas dúvidas, seus lábios curvaram em um sorriso lindo e nesse momento eu soube que tinha sido aceito. Sim, meu pai tinha razão, a força da impressão é incrível, pela forma como ela me olhava, eu sabia. Ela me amava também. Como eu contaria isso ao meu pai?? Não sei...Como eu faria para ficar com ela, ela morando na Itália, eu em La Push?? Eu também não sei...Só sei que não ficaria mais sem ela. Alexia.

POV Narrador

Alec encontrava-se em sua sala, na grande mansão dos Volturi, observava a noite estrelada, na poltrona ao seu lado estava sentada uma mulher de feições lindas, cabelos castanhos escuros, olhos que antes eram verdes, agora vibravam na cor rubi. Seu nome era Yasmim Lorenzatto, mas a dez anos ela passou a ser uma Volturi, sua esposa.

Alec a olhava admirado e pensava no quanto ele se sentia feliz, agradecido, diariamente ele fechava os olhos e implorava para que esse sonho não acabasse, que sua esposa o amasse pela eternidade, só ela o entendia, só ela o amava, só ela o fez esquecer Renesmee. Sua memória voltava ao passado, fazendo-o lembrar de como havia conhecido a morena, sua esposa.

Ele a conheceu no momento mais crítico de sua prolongada vida. Renesmee havia ido embora a um ano e alguns meses, inclusive ele havia a visitado no aniversário de seu filho Bernard, ver a felicidade de sua então atual amada, o fez ter dois tipos de sentimento, felicidade por vê-la bem e tristeza por não ser ele o causador dessa felicidade...Sentindo-se transtornado e afundado em uma depressão constante, ele tentou voltar a ser o monstro que era, talvez uma tentativa de espairecer a mente. Mas ele jamais seria o mesmo, uma vez que fora tocado por um sentimento tão puro quanto o amor. Porém ele estava decidido.

Em uma noite, em uma de suas caçadas na Itália, mais precisamente em Roma, ele entrou em uma balada, motivado pelo cheiro de sangue jovem, mais precisamente de lindas jovens. Em meio ao agito da noite, ele escolhia calmamente quem seria sua preza, então seus olhos se fixaram em uma jovem que dançava com desenvoltura, um corpo atraente, de deixar qualquer marmanjo babando e de uma forma estranha, ele sentiu algo como possessividade, quis que ela fosse dele, o cheiro dela fazia com que seus instintos mais primitivos o tomassem de conta, ele a observava como um predador. Foi então que outro homem se aproximou, dançando junto ao corpo da jovem, deixando Alec ensandecido de ciúmes. Furioso, ele expulsou o homem de perto de “sua” mulher e sem pedir permissão, tomou-lhe em um beijo ardente.

Alec não sabia, mas Yasmim estava de olho nele desde o momento em que ele passou pela porta, sentia-se entorpecida, como se estivesse diante de algo novo e excitante. Alec foi com ela para o apartamento em que ela dividia com as amigas, contou-lhe toda a verdade, mesmo antes de estarem aos amassos, continuaram conversando e dessa vez, ele não a embebedou, ele a amou, como deveria ser, e não usou seu poder, não precisou, usou de autocontrole para suportar a sede e a vontade de beber seu sangue, amou-a com cuidado para não lhe machucar e sentiu o melhor prazer de sua vida. Assim que acabou seu ato de amor, ele observou a jovem dormindo em seus braços e feliz, ele estava meio bobo, antes dela dormir, ela confessou estar apaixonada por ele, que não sabia como, mas que já o amava, ele não conseguiria mata-la, NUNCA, ela o fascinava, ao mesmo tempo que sentia vontade de mata-la, sentia vontade de ama-la e dar a ela tudo de melhor que a vida pudesse lhe dar, ela era sua La Cantante.

Mas ao mesmo tempo, ele havia lhe contado a verdade, regras são regras, mas ele se sentia fraco e inútil, um monstro. Enquanto pesava sua decisão, ele ouviu o barulho de garotas entrando no apartamento e pelo grande covarde que era, fugiu pela janela, com a intenção de nunca mais voltar.

Porém a saudade da morena o fez mais forte e uma semana depois, ele a visitou no meio da noite, apenas para sentir seu cheiro, foi quando percebeu que ela gemia um pouco de dor, isso causou dor em si mesmo, não aguentando, pulou a janela e se aproximou. Ela chorava de felicidade por ele ter voltado e lhe contou que havia ficado grávida, mostrou-lhe a barriga que crescia em velocidade estrondosa, com certeza era algo sobrenatural, era um filho seu.

Percebendo que ela sentia dores fortíssimas, pelo feto super poderoso, Alec buscou informações de onde pôde, ele precisava ajuda-la, foi quando descobriu que ela morreria no parto, pois o bebê era forte demais e ela estava muito fraca, pois não conseguia sequer se alimentar. Porém Yasmim não desistiu, disse que não tiraria o bebe, de jeito nenhum. E assim passou-se o mês, ele a levou para uma cabana longe e ficou com ela o tempo todo, ele percebeu que ela bebendo sangue, ficava mais forte e tratou de roubar sangue no hospital para sanar a cede de sua escolhida. O parto foi difícil e assim que a meninas nasceu, não houve outra escolha, a não ser transformá-la em vampira. Ela já havia aceitado essa posição, pois amava Alec incondicionalmente.

Alec sentiu-se emocionado ao ter sua filha em seu braço e perceber que tinha uma família só para si, uma família que de uma forma estranha, ele construiu e assim que Yasmim voltou a vida como imortal, ele disse que a amava, pois sim, a amava muito, não da forma que um dia amou Renesmee, mas sim de uma forma nova, devota, incrível, fiel, perfeita. Ela perto de Renesmee, era como se Renesmee nunca tivesse existido.

Eles se casaram logo em seguida, os Volturis aceitaram a situação de Alec e de sua filha hibrida com entusiasmo, eles nunca haviam visto uma história como essa. A menina cresceu rápido, em dez anos extremamente felizes, Alec viu sua menina se transformar em uma linda mulher.

Alec olhou novamente a esposa, com devoção.

– Mym, sabe que te amo como um louco né? – Alec disse sorrindo, beijando a mão de sua esposa com carinho.

– Ah, meu Alec, eu também te amo, do momento em que te vi – Yasmim puxou Alec para um beijo ardente.

Ao longe, Alec ouviu um carro chegando, parou o beijo e esperou que sua filha entrasse pela porta, porém ainda abraçado a sua esposa.

– Boa noite família, cadê todo mundo? – Alexia perguntou, já encaminhando-se para o seu quarto.

– Foram caçar, aonde você vai? Não vem dar um beijo no seu velho? – Alec disse em tom de brincadeira.

– Bom...Err...Eu, meio que preciso de um banho...- Alexia disse meio sem jeito, virando-se em direção ao quarto.

Alec franziu o nariz, um cheiro estranho, fazia seu rosto tronar-se uma careta.

– Espera um pouco aí...Conheço esse cheiro, o odiei por muitos anos, conseguiria identifica-lo onde quer que eu estivesse...Cheiro de cachorro, DOS MALDITOS LOBOS DE LA PUSH!!!! – Alec bradou, fazendo sua esposa se assustar por essa reação inesperada.

Já Alexia, fechou os olhos, já esperando o que estava por vir...

– ME EXPLICA ALEXIA...ONDE VOCÊ ARRANJOU ESSE MALDITO CHEIRO???? – Alec bradava em sua direção – JACOB BLACK ESTÁ EM VOLTERRA??? MAS O QUE ESTÁ FAZENDO AQUI??? ESTÁ QUERENDO CONFUSÃO??? O QUE ELE QUER COM A MINHA FILHA??? EU OS DEIXEI EM PAZ COMO O COMBINADO, O QUE QUEREM AGORA??? – Alec andava de um lado para outro, desnorteado.

– Não pai, o nome dele é Bernard Black, nos encontramos por acaso, ele estava em Milão a passeio, depois foi a uma festa em Florença e sem querer chegou a Volterra, quando percebeu onde estava, ele se desesperou e estava indo embora quando me encontrou... – Alexia não precisou terminar de falar.

– Ele teve a impressão com você – Não era uma pergunta que Alec fazia.

– Sim... Eu o amo papai, nós vamos ficar juntos – Alexia falava ainda de cabeça baixa, com as lágrimas salgadas descendo por seu rosto.

– De jeito nenhum!!! – Alec disse

– Amor, você me contou a sua história no passado, você sabe que não vai conseguir afastá-los...A força da impressão, lembra? – Yasmim falou, segurando em seu rosto.

– Isso não pode ser verdade... – Alec suspirou alto – Vai para o seu quarto Alexia e só saia de lá quando eu mandar, você tem apenas 10 anos, só tem cara de 18, mas ainda é uma menina, não está na fase de namorar ainda... – Alec falou irritado.

– Isso é o que você pensa pai, eu já sou adulta a muito tempo... – E saiu em direção ao seu quarto, batendo a porta ao passar.

Alec tirou seu celular do bolso, discou alguns números e esperou que atendessem.

– Alô.

– Luar, é o Alec, tudo bem meu amigo? Preciso do telefone da casa de sua cunhada em La Push, depois eu te explico. – Alec disse eufórico.

Luar achou estranho, mas com o tempo, aprendeu a não questionar muito seu amigo e por fim passou o número. Falou rapidamente com Mary e depois Seth, dizendo que o filho de Jacob e Renesmee estava em Volterra e precisava falar com eles, Seth assustado passou o número imediatamente.

– Alô? – Uma voz rouca do outro lado da linha atendeu ao chamado.

– Era com você mesmo que eu queria falar, cachorro imundo. – Alec falava raivoso.

– Eu não acredito que está ligando na minha casa!!! O QUE VOCÊ QUER??? SANGUESSUGA DE -sou bonzinho e não uso palavrões no fórum alheio-??? NESSIE ESTÁ CASADA A MUITO TEMPO!!! – Jacob gritou do outro lado da linha.

– Eu não quero a sua mulher idiota, eu tenho a minha, que eu amo e muito, eu quero apenas que mande o seu filhote projeto de cachorro pra longe da minha filha droga, ela é muito nova para ele, não quero ela se relacionando com a sua raça!!! – Alec falou entredentes, praticamente um rosnado.

– Meu filho? O que meu filho tem haver com isso? – Jacob perguntou sem entender o rumo da conversa de Alec.

– Ah! Pelo visto você não sabe ainda né? Pois vou te avisar, seu filho teve uma porcaria de impressão com a minha filha, uma híbrida, que é muito nova, ele está aqui em Volterra, não sei como, mas quero que se afaste, AGORA!!! Senão serei obrigado a caçá-lo, já que ele está em meu território, eu cumpri minha parte e não fui atormentar vocês, eu não quero que ele atormente a minha filha, o recado está dado! – Assim, Alec desligou o telefone, deixando um Jacob perplexo e furioso, como Bernard foi parar em Volterra???

Alec olhou para o teto com visível irritação, um dia ele quis que o bebê de Renesmee fosse dele, agora ele o havia ganhado como um genro. Alec riu sem humor, a vida as vezes era muito cruel.

Já em seu quarto, em meio as lágrimas Alexia chorava, enquanto colocava algumas mudas de roupas em uma mochila, ela passara a tarde inteira com Bernard, e queria passar o resto da vida, ele a havia convidado para ir até sua reserva e ela havia aceitado, amanhã quando seus pais saíssem para caçar, ela encontraria com ele na rodoviária e iam direto para Florença. Ela tinha bastante dinheiro, conseguiria viver em La Push por um bom tempo, mas no fim eles fizeram outros planos...Iriam passar um tempo no Brasil, sempre tinha sol, Alec não iria para lá. Bernard ia ligar no dia seguinte para os seus amigos dizendo que havia voltado para os EUA, sendo que na verdade estaria embarcando para outro país.

Não importavam as consequências para o casal, eles sabiam que se não fosse assim, não daria certo...Eles eram jovens, inteligentes, impetuosos, sedentos pelo amor, um amor forte de uma impressão, precisavam um do outro. A tarde de amor, mostrou bem aos dois o quanto eles se queriam, não importaria as consequências. O importante é que enfrentariam a ira de seus pais e estariam juntos, como queriam, como deveria ser.

Moral da história:

Não importa quanto tempo leve ou quais circunstancias a vida tenha que tomar.. No fim...Seria sempre uma híbrida e um lobo...

_____________________________________________________________

Ahhhhh......peguei vocês de surpresa neah???
Gostaram muito!!???...pq eu amei!!!
Quero agradecer de coração a todas as fofas que comentaram nos capítulos
e acompanharam essa historia até o fim!!!
Juro que eu postaria mais fics aki, se elas não fossem tão pervas...kkkkkkkkkkkkk....
mas ainda assim, quem quiser me acompanhar, deem uma passadinha no meu perfil
do Nyah! Fanfiction, ficarei muito feliz.https://www.fanfiction.com.br/u/107379/
bjos minhas lindas!!!

Eme.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://cenografia3d.blogspot.com
Yasmim L
Conhecendo a história de Jasper
Conhecendo a história de Jasper


Idade : 21
Número de Mensagens : 371
Data de inscrição : 19/04/2010
Localização : Brincando com a "comida" nos becos de Volterra com Alec e Demetri... 666'

MensagemAssunto: Re: FANFIC - Jacob e Nessie - Sol do Meio Dia   Dom 27 Maio 2012, 14:32

oin mais q coisa mais lindaaaa

oin a mulher do ale sô eu *-------*
chorei
chorei msm

emme vo sentir saudades dessa fic

obrigada mesmo pela homenagem *---* te amoo
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.deciphermee.tumblr.com
Tânia
Conhecendo Edward
Conhecendo Edward


Idade : 28
Número de Mensagens : 32
Data de inscrição : 19/12/2011
Localização : Vila do Conde (Portugal)

MensagemAssunto: Re: FANFIC - Jacob e Nessie - Sol do Meio Dia   Dom 27 Maio 2012, 15:48

Oi Vovo

AMEI o bonus

Ja estou com saudade desta fic. Sad

Beijocas Graaaaandes

ADORO-VOS
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: FANFIC - Jacob e Nessie - Sol do Meio Dia   Hoje à(s) 02:42

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
FANFIC - Jacob e Nessie - Sol do Meio Dia
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 13 de 13Ir à página : Anterior  1, 2, 3 ... 11, 12, 13
 Tópicos similares
-
» Fanfic - De Deus A Semideus
» [Fanfic] - O Traidor
» Inscrições pra minha fan fic
» O Meio-Sangue Filho de dois deuses
» A vida de um meio sangue.

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Doce Vampiro :: FORKS NEWS :: FanFics-
Ir para: